FESTIVAL INTERNACIONAL DE FOTOGRAFIA BRASÍLIA FOTO SHOW BATE RECORDE DE INSCRIÇÕES

Fotógrafos de todo o Brasil e do exterior estão no páreo. Curadores se impressionam com o nível dos trabalhos inscritos

Um novo recorde foi festejado nos bastidores do Festival Internacional de Fotografia Brasília Foto Show.Mais de 15 mil e 300 imagens,captadas por 8 mil e 700 fotógrafos, chegaram até 28 de agosto, dia limite para as inscrições da temporada 2020. A corrida pelas estatuetas e demais prêmios da 6ª edição do BPS está acirradíssima. Trabalhos de todos os cantos do Brasil e do mundo afrontam os curadores na desafiadora missão de apontar os vencedores do festival conhecido popularmente como o Oscar da Fotografia.

Para Rodrigo Nimer, diretor executivo do Group BPS, a 6º edição do Festival Internacional de Fotografia Brasília Foto Show é um marco. Completamente tomado por uma crise sanitária sem precedentes provocada pelo novo coronavírus, 2020 se impôs repleto de incertezas. O planejamento pronto para ser executado foi totalmente readaptado. Praticamente todo o cronograma e as etapas do Festival sofreram alterações. “Chegamos a ter dúvidas em relação à realização da edição 2020. Entretanto, o BPS se tornou um dos maiores festivais do segmento, com grande expressividade, inclusive no exterior. Não queríamos pausar esses avanços e decidimos enfrentar o incerto, seguimos em frente não nos arrependemos. Estamos muito animados com as novas conquistas”, garante.

Segundo Nimer, comparado com as edições anteriores, o projetos e superou em todos os sentidos. Além do recorde de inscrições, o propósito inclusivo e democrático do Festival foi muitíssimo assimilado entre os fotógrafos brasileiros e de outras nacionalidades. “Recebemos imagens incríveis de profissionais e amadores. Fotógrafos renomados, que já estão na estrada há muito tempo enviaram trabalhos. As apostas dos amadores estão mais impressionantes a cada edição”, relata. Podemos dizer que a arte venceu a pandemia e que o Brasil entrou, definitivamente, para o mapa dos grandes festivais de fotografia do planeta, mesmo diante de um ano que parou o mundo” destaca o diretor executivo.

Missão desafiadora para a curadoria

Com todas as fotos 15 mil e 300 fotos recebidas em mãos, é hora do olhar apurado de artistas, galeristas e fotógrafos curadores do BPS afinar apontamento das imagens candidatas aos prêmios. “O alto nível das fotos inscritas vem surpreendendo ao longo da história do BPS, mas como a pandemia mudou tudo em todo o mundo, estávamos incertos se superaríamos as edições anteriores. Os avanços são evidentes, o vigor artístico e técnico dessa edição está impressionante. Teremos um trabalho surreal pela frente”, revela o fotógrafo e um dos curadores da 6ª edição do Festival Internacional de Fotografia Brasília Foto Show, Cleber Medeiros.

Edu Vergara, idealizador e curador do Festival, está radiante. Ele observa que a curadoria aprecia diversos fatores que compõem uma grande foto. “Estar no lugar certo, na hora certa, é essencial, todo fotógrafo aprende isso. Pode estar diante de um grande acontecimento e registrar, ou se preparar para fazer a captura de um momento que você sabe que irá acontecer”, detalha o fotógrafo. Mas dominar o equipamento, seja ele qual for, também é muito relevante para não perder a oportunidade que, normalmente, dura pouquíssimo tempo, segundo Vergara. “E tem o olhar sensível. Aquele que vê o que ninguém viu. Aí, vai lá e faz a foto. As imagens geniais costumam transitar entre dois campos. Um é o do impacto, no qual o espectador percebe tudo o que há na foto de uma só vez e baba.O outro é o da mensagem subliminar, que costuma carregar uma sutileza espetacular”, aponta Vergara.

Quem clicou e está no páreo, terá que aguardar o resultado. Para não sofrer com a ansiedade, a dica é ir se preparando para 2021, que vem com muitas novidades!